fbpx
06 jan

Jejum Intermitente

Atualmente existe uma grande discussão em torno do jejum intermitente . Profissionais da área de saúde, blogueiros, influencers e curiosos fornecem informações diárias sobre essa nova prática de emagrecimento.

Mas a prática do jejum intermitente vai muito além da estética e perda de peso.

De acordo com vários estudos, o Jejum intermitente tem um efeito grandioso no processo de envelhecimento e longevidade dos pacientes promovendo diminuição ou até reversão do processo de envelhecimento assim como a supressão de determinadas doenças metabólicas como hipertensão, diabetes, dislipidemias, doenças cardiovasculares, câncer e doenças neurovegetativas.

Como fazer jejum intermitente

De qualquer modo, todo método de jejum intermitente envolve:

  • Janelas de alimentação, que podem ser um dia ou horas durante o dia
  • Ingestão de líquidos sem calorias durante o jejum, como água e café e chás sem açúcar
  • Evitar itens que contenham calorias, incluindo alguns suplementos, como o whey protein.

Comer apenas quando sente fome

Outro protocolo comum é orientar que a pessoa coma apenas quando sente fome de verdade. Nesses casos, só é possível fazer jejum quando são consumidos alimentos com grande poder de saciedade, como proteínas, verduras, legumes e carboidratos ricos em fibras.

Esse método, no entanto, não funciona bem com pessoas que seguem dietas ricas em carboidratos simples ou não sabem diferenciar a fome real da vontade de comer devido a ansiedade ou fatores emocionais, por exemplo.

Cardápio do jejum intermitente

Nos períodos em que a alimentação é permitida, é importante consumir alimentos que aumentem a saciedade e reponham os nutrientes.

Prefira: proteínas com pouca gordura, legumes, verduras, frutas com casca, cereais integrais (como arroz integral), tubérculos (inhame, cará, mandioca, batata doce)

Evite: cereais refinados (arroz branco, pão branco, massas), doces, alimentos muito industrializados.

Faça refeições do tamanho que você faria se não estivesse de jejum, não tente compensar o tempo que você ficou sem comer até então.

Mudanças entre homens e mulheres

Normalmente mulheres aguentam períodos de jejum menores do que os homens. Isso ocorre porque eles possuem mais massa muscular, portanto tem reservas maiores de glicogênio, outra fonte de energia do corpo que é armazenada justamente nos músculos e muito usada durante o jejum. O ideal é que elas sigam jejuns de até 12 horas, enquanto os homens podem chegar a até 14 horas.

Recomendação

“No ponto de vista médico, dependendo do perfil do paciente (se ele estiver acima do peso, tem um estilo de vida em que consegue ficar sem comer e é mais sedentário, ou seja, não precisa de energia para praticar atividade física) propor jejum de 12 a 14 horas não é tão difícil e não vejo problemas, salvo as exceções que já foram citadas. Só é importante ver o perfil físico e psicológico do paciente e ter critério durante as janelas de alimentação”, nutrólogo Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *